Agência Internacional de Energia elogia esforços do Brasil em reduzir emissões de CO2

Agência Internacional de Energia elogia esforços do Brasil em reduzir emissões de CO2

O Ministério de Minas e Energia (MME) recebeu nesta quarta-feira (16/12), representantes da Agência Internacional de Energia (Internacional Energy Agency , IEA). Na ocasião, foram apresentadas duas publicações sobre setor de energia, com destaque no segmento de fontes renováveis e emissão de CO2.

O vice-diretor executivo da Agência, embaixador Paul Simons, destacou o papel do Brasil no encontro internacional sobre o clima (COP 21) e o seu papel no esforço pela redução de emissão de CO2. Simons enfatizou a participação da AIE na COP21, em Paris. Ele defendeu a conciliação entre necessidades climáticas e energéticas como contribuição da Agência à COP21. O secretário-executivo do Ministério, Luiz Eduardo Barata, recepcionou o embaixador Paul Simons, e o diretor do departamento de Energias Renováveis, Paolo Frankl, que apresentaram os relatórios da agência. O diretor-geral do CEPEL, Albert Melo, também participou da apresentação.

O secretário-executivo enfatizou que a Agência Internacional de Energia foi criada na década de 70 do século passado, em plena crise do petróleo. Mais recentemente, a pauta das energias renováveis ocupou espaço nos debates e documentos da IEA, afirmou Barata. “A matriz energética brasileira é cada vez mais renovável, mas o país é ao mesmo tempo produtor de petróleo”, disse ainda. Barata destacou a parceria com a IEA que tem interesses alinhados com o Brasil.

Paul Simons apresentou o World Energy Outlook 2015, que destaca projeções atualizadas da evolução do sistema energético global para 2040, com foco nas perspectivas dos combustíveis fósseis, das energias renováveis e da eficiência energética.

Já o Relatório de Médio Prazo do Mercado de Energias Renováveis 2015, apresentado por Paolo Frankl, detalha ações aplicadas e resultados obtidos relacionados à geração de energia limpa no mundo.

Fonte: MME

Voltar