Consumo de energia no país cresce 10,5% em maio

Consumo de energia no país cresce 10,5% em maio

O consumo de energia elétrica no Brasil cresceu 10,5% no mês passado em relação a maio de 2009, somando 34,605 mil gigawatts-hora (GWh), segundo a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), autarquia ligada ao Ministério de Minas e Energia (MME). Na comparação entre os cinco primeiros meses de 2010 e o mesmo período do ano passado, a expansão do consumo de energia no país foi de 9,7%. No acumulado dos últimos 12 meses, a alta é de 3,9%. As informações constam da Resenha Mensal do Mercado de Energia Elétrica, divulgada nesta quarta-feira (24) pela EPE.

Segundo a EPE, a taxa de crescimento do consumo apurada em maio é a segunda mais elevada do ano, inferior apenas à de fevereiro (10,7%). A retomada da demanda segue impulsionada pelo mercado industrial, que registrou crescimento de 15,4% em maio deste ano ante maio de 2009. "Devido à retomada da indústria e, por efeito da crise internacional, à baixa base de comparação, o consumo de energia nas indústrias vem apresentando elevadas taxas de crescimento", justificou a autarquia, no documento. Os estados que lideram a recuperação do consumo industrial são Minas Gerais e Espírito Santo.

O segmento residencial continua em expansão e, no período, registrou alta de 6,5% no consumo de energia. Na avaliação da EPE, "a dinâmica do consumo residencial pode ser associada, em boa medida, a um mercado de trabalho aquecido (aumento de empregos formais e da massa salarial) e a condições favoráveis de crédito (acesso facilitado e prazos alongados)". As regiões Norte e Nordeste, beneficiadas pelos programas de transferência de renda do governo federal, registram crescimento no consumo superior ao da média nacional. Adicionalmente, a demanda do setor comercial apresentou variação positiva de 7,9% no período.

Diante desse cenário, da expansão do Produto Interno Bruto (PIB) de 9% no primeiro trimestre de 2010 ante igual período de 2009 e das perspectivas para a economia no segundo semestre deste ano, a EPE optou por rever sua projeção para a demanda de energia. Com isso, a nova estimativa para o consumo de energia este ano é de crescimento de 7,7%, 0,7 ponto porcentual acima da previsão anterior, de 7%. "Estima-se que a classe industrial apresente o maior aumento (10,3%), enquanto as classes residencial e comercial devam registrar expansões em torno de 6%", explicou a EPE.

No documento, a EPE também informou que o consumo de energia no mercado livre (grandes empresas que podem escolher de quem comprar a energia) aumentou 21,6% entre maio de 2010 e igual mês de 2009.

Fonte: Gazeta do Povo

Voltar